Teleton 2018 realiza casamento ao vivo no palco

Durante a 21ª edição do Teleton, campanha em prol da AACD – referência em ortopedia no Brasil – e exibida pelo SBT nos dias 9 a 10 de novembro, a equipe de especialistas do reality-show Fábrica de Casamentos foi acionada para uma missão mais do que especial: realizar a união surpresa do casal Pedro Henrique e Marcela. Os pernambucanos tiveram o sonho de se casar interrompido para focar no tratamento de Pedro após um acidente de carro que o deixou paraplégico. A cerimônia comoveu o público e aconteceu ao vivo na noite de sábado (10).

Só se vê bem com o coração, porque o essencial é invisível aos olhos”. Com essa frase, a celebrante Lidia Vas deu inicio à cerimônia, que foi acompanhada no palco por Chris Flores, Carlos Bertolazzi, Patricia Abravanel, Eliana, Rebeca Abravanel, Robson Jassa, Lucas Anderi, Henri Castelli e familiares dos noivos.

O casal foi surpreendido na noite de sexta (09), logo após o início do programa Teleton, quando a história de vida de Pedro foi mostrada ao vivo. A apresentadora Eliana, tocada com a trajetória e o companheirismo do casal, sugeriu que a equipe do programa Fábrica de Casamento realizasse a união de Pedro e Marcela no dia seguinte. Ao longo da programação, trechos da produção da cerimônia foram compartilhados pela televisão e pelas redes sociais, até o momento do casamento, realizado na noite de sábado.

Todas as qualidades que podia esperar em uma mulher você tem. São essas qualidades que me fizeram escolher a mulher que será a mãe dos meus filhos. Por isso, escolhi você”, disse Pedro Henrique, paciente da AACD, à sua amada.

Vou estar sempre ao seu lado, porque você é parte de mim, sempre foi parte de mim. Porque você desperta o que há de mais bonito em mim: a força, a coragem e o amor mais puro desse mundo, te amo muito”, disse Marcela ao noivo.

A história de um amor sem limites

Em 21 de setembro de 2017, pouco antes da 20° edição do Teleton, Pedro sofreu um acidente de carro no trajeto da cidade de Custódia, no interior de Pernambuco, para Recife. Ele havia saído de seu consultório no interior de Pernambuco, onde trabalha como dentista, e seguiu sem avisar ninguém para surpreender a namorada com sua chegada no dia do aniversário de namoro do casal. Quando seguia em direção à capital, sofreu um acidente após parar o carro no acostamento para trocar o pneu a noite. Sem conseguir enxergar, caiu de um penhasco, onde ficou ferido durante horas.

“Eles demoraram a sentir a minha falta, eu não tinha avisado ninguém que já estava na estrada. Demorei 13 horas para ser socorrido. Um pastor de bode me encontrou nos escombros e foi quem chamou o resgate. Eu estava consciente, mas não conseguia me mover e nem tinha forças pra falar”, relembrou Pedro.

Ele foi levado pra um hospital de Custódia onde constataram que tinha fraturado duas vértebras, duas costelas, perfurado o pulmão e estava com queimaduras de terceiro grau nas duas pernas. Os médicos conseguiram estabilizar a situação e, no dia seguinte, Pedro foi transferido para um hospital em Recife. Após a cirurgia, os médicos avisaram Pedro e sua família que ele provavelmente não teria condições de andar novamente. Havia tido uma importante lesão na medula agravada, naquele momento, por uma infecção pulmonar.

“Eu fiquei depressivo. Sempre fui muito ativo. Minha rotina era ir à academia, atender meus pacientes, praticar Kite Surf, paraquedismo, adorava motovelocidade, viajava na moto longas distâncias junto da minha namorada. Não enxergava uma recuperação com o diagnóstico que eu tinha recebido”, lembra o paciente da AACD.

Um amigo que Pedro Henrique conheceu no hospital de Recife indicou a AACD. Em 18 de dezembro de 2017 ele conseguiu, junto ao plano de saúde, uma transferência para São Paulo para iniciar um tratamento na AACD. A namorada de Pedro, Marcela, o acompanhou na internação em Recife e também durante todo o tratamento de reabilitação multidisciplinar, com fisioterapia de solo, aquática, terapia ocupacional, psicologia, entre outros tratamentos. Nas instalações da Instituição na capital paulista, foram atendidos pelo Dr. Alexandre Fogaça, referência em tratamento de medulas no Brasil.

“Cheguei na AACD cheio de questionamentos. Eu ia voltar a andar? Era muito vaidoso com meu corpo, queria voltar a praticar esportes. Como eu ia fazer? O médico Alexandre Fogaça teve toda paciência e dedicação para me explicar o que estava acontecendo com o meu corpo e, quando eu comecei os tratamentos, pude ver que existiam pessoas em situações muito mais graves que a minha”, conta Pedro. “Ali eu comecei a me animar e a ter fé que iria me recuperar. Queria voltar pro meu trabalho, para os meus pacientes. A AACD foi tudo o que eu precisava e tudo de melhor pra mim”.

Pedro retornou a Recife e retomou sua rotina fazendo tudo sozinho, com o auxílio da cadeira de rodas. Voltou para outra cirurgia na AACD, em maio de 2018, e ficou mais um mês internado, pois estava sob risco de infecção novamente. Foi pra UTI humanizada e depois para o quarto, onde ficou até o dia 6 de junho. Com a alta, Pedro voltou para Custódia, seu consultório e pacientes, que estavam ansiosos pela sua recuperação. O dentista foi muito bem recepcionado e ganhou pela terceira vez consecutiva o prêmio de Profissional Destaque da cidade de Custódia.

“Agora só falta eu voltar a praticar os meus esportes. Não quero perder mais tempo, quero atender meus pacientes e poder pagar as contas atrasadas, os nossos funcionários do consultório. Recuperar o tempo perdido e investir mais em mim, na minha carreira, fazer outros cursos, conseguir adaptar melhor a minha casa.”

Pedro conta que sempre assistia ao Teleton e que ele e a mãefaziam doações sempre que possível. “Agora eu quero ajudar mais ainda, euconheço de perto a AACD que é como uma mãe pra mim. Quero poder mudar essahistória também”.

Fonte: SBT / Fotos: Lourival Ribeiro/SBT

Hans Misfeldt

Jornalista, acompanha o mundo da televisão brasileira desde 2008, quando criou o Tutube. Já entrevistou grandes nomes da música e da televisão para o seu próprio canal Tutube (https://www.youtube.com/programatutube).