Opinião: Datena na política é mais um no terreno contaminado

José Luiz Datena declarou em seu programa neste domingo (24) que está numa verdadeira incógnita: entrar ou não para a política. Filiado ao DEM, o apresentador da Band está cogitado para o Senado e, quiçá, para a Presidência da República.

Luciano Huck, da Globo, quase entrou nessa, mas se convenceu de que não era a hora. Qualquer pessoa pensaria duas vezes: vale a pena trocar o salário milionário da TV por uma ideia de querer mudar o Brasil e ganhar inúmeras vezes menos? Ratinho e Celso Portiolli já declararam algumas vezes que pra “política não voltam mais”. Tiririca seguiu o mesmo rumo, declarando que não irá tentar a reeleição.

É nesse caminho que Datena deve refletir: seria bom trocar o salário e a estabilidade que ele tem no canal da família Saad por uma cadeira no Senado ou o comando do Brasil?

Será que Datena não será mais um “puxa votos” para os partidos conseguirem eleger o maior número de candidatos?

A intenção de Datena é a das melhores – querer colaborar com o País-, mas sozinho, dificilmente conseguirá mudar alguma coisa. Eu, no lugar de Datena, ficaria com meu salário e preservaria minha imagem.

Hans Misfeldt é jornalista, empreendedor e fundador do site Tutube.

, , , , ,