Saiba o que rolou na 1ª noite dos desfiles do carnaval paulistano no Anhembi

Por Renato Cipriano

O Polo Cultural e Esportivo Grande Otelo, mais conhecido popularmente como Sambódromo do Anhembi, está localizado no Anhembi, no distrito de Santana, na Zona Norte da cidade de São Paulo.

Na noite desta sexta-feira, dia 09 de fevereiro, aconteceu o primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do carnaval paulistano.

A feste teve início com a Independente Tricolor, escola que foi a vice campeã do grupo de acesso no carnaval do ano passado, teve a missão de abrir os desfiles no carnaval deste ano.

A agremiação que é situada na zona norte da capital, teve a sua primeira experiencia no grupo especial e vestiu seus foliões de personagens clássicos dos filmes de terror, para entoar o enredo Luz, Câmera e Terror – Uma Produção Independente.

Logo na abertura do desfile, a escola encarou o drama de ter problemas no eixo do carrinho da comissão de frente e por se tratar de um carro grande, teve que ser rebocada para seguir pela avenida e devido a utilização do equipamento maquinário, como consta em regulamento, será penalizada durante suas notas na apuração.

Independente Tricolor - Modelo Franklin David sendo entrevistado antes do desfile
Destaque da Independente Tricolor – Modelo Franklin David sendo entrevistado antes do desfile. – Foto: Renato Cipriano

A segunda escola a adentrar na passarela do samba, foi a Unidos da Peruche, com uma grande homenagem ao sambista Martinho da Vila. O cantor marcou presença no desfile e abrilhantou com sua participação em cima de uma das alegorias, enquanto os foliões celebraram a alegria do ritmo e suas raízes africanas.

Hors Concurs no desfile por ter sofrido uma grande tragédia no atelier da escola e terem perdido cerca de um mês antes do desfile quase 90% de suas fantasias que já estavam prontas, a Acadêmicos do Tucuruvi foi eleita por unanimidade entre todos os presidentes para não ser julgada durante o desfile e mesmo assim o presidente Sr.Jamil fez questão de refazer todas as fantasias, talvez com uma qualidade um pouco inferior as que foram queimadas e mesmo assim a agremiação fez uma apresentação bem elaborada ao apresentar uma grande viagem em torno do universo dos museus, com o enredo de título “Uma noite no Museu”, o qual foi inspirado na trilogia de Hollywood de mesmo nome, porém com adaptações que serão contadas sobre museus situados no mundo inteiro.

Acadêmicos do Tucuruvi - Foto: Zuleika Ferreira
Acadêmicos do Tucuruvi – Foto: Zuleika Ferreira

A trajetória do Fundo de Quintal dominou o desfile da Mancha Verde. O grupo de pagode nasceu no fim da década de 1970 como braço do bloco de Carnaval Cacique de Ramos. O samba-enredo exaltava a amizade e elementos da umbanda. Mas quem chamou mesmo a atenção foi a rainha de bateria Viviane Araújo, vestida de cacique em pleno momento em que fantasias de índios empatam no crivo do politicamente correto.

Já a atual campeã do Carnaval paulistano, a Acadêmicos do Tatuapé, prestou um tributo ao Maranhão e sua cultura local, com o enredo de título “Maranhão, os tambores vão ecoar na terra da encantaria”, desenvolvido pelo carnavalesco Wagner Santos que estreou seus trabalhos na escola da zona leste de São Paulo.

Acadêmicos do Tatuapé - Foto: Renato Cipriano
Acadêmicos do Tatuapé – Foto: Renato Cipriano

A penúltima escola a desfilar foi a Sociedade Rosas de Ouro, que apresentou o enredo “Pelas Estradas da Vida, Sonhos e Aventuras de um Herói Brasileiro”, uma grande homenagem sobre a vida dos caminhoneiros. O carro abre-alas era uma homenagem a São Cristóvão, padroeiro dos motoristas, e entrou puxado por dois grandes caminhões dourados.

A atriz Ellen Rocche, atualmente um dos destaques da novela “O Outro Lado do Paraíso” no papel de Suzy, completou seu 11º ano como rainha da bateria da Rosas de Ouro.

Ellen Rocche - Foto: Renato Cipriano
Ellen Rocche – Foto: Renato Cipriano

E para encerrar com chave de ouro a primeira noite das escolas que compõem o grupo de elite paulistana, a responsabilidade ficou com a Tom Maior, a agremiação que é presidida por Luciana Silva e que prestou uma homenagem a escola carioca Imperatriz Leopoldina, com um desfile impecável e surpreendendo a todos os que estavam de plantão pelo sambódromo.

Tom Maior - Foto: Renato Cipriano
Tom Maior – Foto: Renato Cipriano